Impairment, Depreciação e Gestão Patrimonial

O Balanço e a Gestão Patrimonial nas Organizações
Abril 16, 2010
Impairment, Considerações e definição
Abril 20, 2010

Impairment, Depreciação e Gestão Patrimonial

Os impactos da depreciação com a desvalorização por impairment, os empecilhos em sua ocorrência, as soluções perante a Gestão Patrimonial, e seu tratamento com o processo de Engenharia de Avaliações e o teste de impairment.

A Depreciação e a Gestão

Impairment Depreciacao Gestão

Seguindo o escopo e definição de depreciação, voltado ao âmbito de gestão patrimonial, esta que pode ser considerada de forma singela, como sendo a perda de valor de um bem. Vários fatores podem ser associados a depreciação de determinado ativo, podendo ser casualmente pelos desgastes de ação natural, pelo uso em processo produtivo. É interessante ressaltar a depreciação acelerada, que como exemplo, temos a utilização de determinado ativo em vários turnos em determinado empreendimento, sendo que a depreciação do mesmo é levado em conta em apenas 1 turno diário. Desta forma, é constatado uma depreciação  acelerada devido ao uso contínuo, com horas de trabalho superiores ao que normalmente deveria ser utilizado.

É interessante ressaltar também os tipos de depreciação usualmente utilizados, como no modelo clássico, a depreciação linear, e também a depreciação por uso.

A depreciação linear é efetuada em consideração a vida útil (expresso pelo laudo de vida útil do ativo) de determinado ativo. Tendo a vida útil em anos, é calculada então o percentual de desgaste ou depreciação ao ano. Esta taxa, ou percentual, é classificada como taxa de depreciação ou de desvalorização, que é aplicada de maneira constante, depreciando linearmente o bem de modo anual.

A depreciação por uso, diferentemente do modelo clássico linear, é utilizado para cálculo de depreciação através da média de produção do equipamento perante sua vida útil. Desta forma, é calculado de forma não linear, proporcionalmente ao seu uso direto. Neste modelo é também contabilizado as horas de uso de determinado ativo, relativas aos turnos de produção.

O Impairment e o Teste de Recuperabilidade

Outro ponto relevante perante a desvalorização é o impairment, que sabidamente foi incorporado seu tratamento pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis. As aplicações do Teste de Impairment perante os processos e metodologias da Engenharia de Avaliações é totalmente relevante ao processo de Gestão Patrimonial, pois reflete com maior precisão o real valor dos ativos, e o estado do patrimônio líquido de determinado empreendimento. É imprescindível o seu papel, pois muitos empreendimentos que aparentemente estejam sendo lucrativos e bem vistos por seus acionistas, podem não estar refletindo o estado real, devido a perdas por impairment de seus ativos.

A perda de valor do ativo por impairment, deve ser tratado periodicamente pelos testes de impairment, para verificar se há contrastes no seu valor contábil e o reflexo do mesmo no valor de mercado. Tal prática é sabidamente empregada, e constitui papel significativo no processo de controle patrimonial, pois auxilia na obtenção de dados precisos de todos os ativos e o controle correto na Gestão Contábil.

Depreciação, Impairment

Gestão Patrimonial e a Redução ao valor recuperável de ativos

Com as mudanças na leit 11638, e pelo o pronunciamento CPC 01, é ratificado a importância da execução de teste de impairment nas corporações, e o seu impacto na contabilidade. Com esta lei, houve uma adição referente ao tratamento das depreciações e amortizações, sendo que estas devem e precisam ser efetuadas com base na vida útil econômica dos ativos. Esta mudança é totalmente relevante, pois no Brasil, tal processo não era executado singelamente desta forma.

3 Comentários

  1. Eduardo disse:

    Caros Senhores,

    Muitíssimo bom, deu bem para ter uma visão e entender o fluxo.
    Trabalho em um instituição filantrópica e meu cargo é Assistente de Patrimônio, envolve muito minhas atividades do dia-a-dia, porisso parabenizo os autores e desde já agradeço.

    Atenciosamente,

    Eduardo Ribeiro

  2. GEORGINA disse:

    Muito bom, gostei muito, assim posso melhor informar ao colega de trabalho que trabalha diretamente com o patrimônio da empresa.
    Já agradeço
    Atenciosamente,
    Georgina

  3. Roseline disse:

    Obrigada pelas informações, gostaria de um modelo planilha para registro de patrimonio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *